- Publicidade -
18.5 C
Brasília
- Publicidade -

Eventos esportivos para público restrito nos fins de semana – Agência Brasília

Um público amante das atividades esportivas equestres, formado por famílias inteiras e, principalmente, grupos de jovens, acompanhavam as provas realizadas no sábado (5), no pavilhão do Parque de Exposições Granja do Torto (PGT). Devido à pandemia, o local foi restrito a 25% da capacidade de funcionamento.

A atual gestão do PGT está retomando com os criadores de animais, com a pecuária e a criação de cavalos, além do investimento no Hospital Veterinário [o maior da América Latina para animais de grande porte] e a tecnologia na agricultura | Foto: Vinícius de Melo

Os eventos esportivos têm ocorrido em todos os finais de semana, seguindo os protocolos e medidas de segurança contra a disseminação do novo coronavírus. As atividades esportivas dessa natureza foram liberadas pelo governador Ibaneis Rocha, no Decreto nº 41.214/2020.

O parque está sendo reestruturado, após 12 anos de abandono. Até o momento, cerca de R$ 200 milhões em investimentos privados foram empenhados nas áreas que estão sendo reformadas.

A ideia é tornar o PGT um grande centro de desenvolvimento da agropecuária da região Centro-Oeste. Para isso, estão sendo desenvolvidos sete macroprojetos voltados ao crescimento do setor agropecuário, por meio de inovação tecnológica e atração de negócios para o DF. O planejamento é alinhado com as atuais políticas do Governo do Distrito Federal (GDF) e promoverá o crescimento do setor, resultando em negócios promissores para o agronegócio local.

“A Granja do Torto voltará a ser como era e fará girar a economia do DF, como é o caso das provas equestres. O governador Ibaneis Rocha tem incentivado esse esporte”Paco Britto, vice-governador

Em visita ao local, na tarde de sábado (5), convidado pelo radialista Henrique Moronari, o vice-governador Paco Britto, acompanhado de sua esposa Ana Paula Hoff, foi recebido pelo diretor-presidente do PGT, Eugênio Farias, que apresentou as melhorias feitas no parque até o momento. Eugênio Farias explicou que a missão desta gestão tem como foco o desenvolvimento do segmento por meio de investimentos na área de inovação tecnológica e incubadora de empresas do setor agropecuário.

Farias mostrou ao vice-governador, por exemplo, o local da instalação da empresa Moara, do segmento de insumos biológicos. Trata-se do primeiro projeto pronto. “Inclusive, já pode começar a plantar”, disse Farias, referindo-se à área onde serão construídos 20 prédios com produção de diferentes bioinsumos. “A ideia é transformá-la no maior polo tecnológico do Brasil”, emendou.

Outro local visitado foi o pavilhão principal, onde acontecem as provas equestres. Paco conversou com alguns frequentadores, entre eles, o jovem Márcio Correa da Costa Júnior, 19 anos, da categoria esportiva Team Penning (“time de apartação”). Trata-se de um esporte do trabalho em equipe, cuja modalidade de rodeio nasceu nos Estados Unidos a partir de um trabalho rotineiro da fazenda, que se profissionalizou e se transformou em esporte.

Márcio Júnior compete nesta categoria desde os 8 anos. “Sou líder nacional [na categoria]. Gosto muito. É um escape do estresse”, avaliou, feliz por poder retornar ao esporte. “É um alívio sair de casa”, completou, referindo-se à pandemia e à oportunidade de competir na Granja do Torto.

Uma parceria entre a Associação Nacional de Equoterapia e a Universidade de Brasília, já implantada no PGT por meio de um centro de pesquisa, fornecerá pesquisa e ciência visando maiores resultados na aplicação de tecnologia para aperfeiçoamento da equoterapia| Foto: Vinícius Melo

Equoterapia

Paco Britto também visitou a Associação Nacional de Equoterapia (ANDE). A área foi reformada e está funcionando normalmente no parque. O projeto tem capacidade para atender 100 crianças e deverá ser ampliado, em breve.

Segundo Eugênio Farias, uma parceria entre a ANDE e a Universidade de Brasília (UnB), já implantada no PGT por meio de um centro de pesquisa, fornecerá pesquisa e ciência visando maiores resultados na aplicação de tecnologia para aperfeiçoamento da equoterapia.

Paco Britto parabenizou o presidente pelo trabalho desenvolvido, respeitando as condições sanitárias, como o uso de máscaras e álcool gel. “A Granja do Torto voltará a ser como era e fará girar a economia do DF, como é o caso dessas provas [equestres]. O governador Ibaneis Rocha tem incentivado esse esporte”, frisou.

Eugênio Farias agradeceu a presença do vice-governador. “É prova de que estamos dentro do circuito”. Para ele, “Brasília é a capital nacional do cavalo. Brasília é tudo de bom”. As ações no parque também fomentarão a agricultura familiar e pequenos produtores.

“Até o fim do ano, quem vier aqui, vai rever os momentos únicos”Eugênio Farias, diretor-presidente do PGT

Reforma dos pavilhões

No parque, os pavilhões – ambiente de criação dos cavalos – também estão sendo reformados. Cada baia comporta 40 cavalos. No total, existem 500 baias, sendo metade para eventos e, a outra, para hospedagem contínua. Cavalos de raça chegam a ser avaliados, no local, entre R$10 mil e R$ 1 milhão.

O criador de cavalos da modalidade esportiva Três Tambores – a prova consiste em contornar três tambores, dispostos na forma de triângulo, no menor tempo possível -, Renato Teixeira, foi um dos convidados desta gestão para se instalar no parque, em um pavilhão temporário. Cabe a ele, como convidado, zelar e reformar o pavilhão, além de promover o esporte em Brasília. Ele fez questão de destacar a presença feminina neste esporte. “É o berço das provas ligado ao setor agro. É uma forma de atrair também esse público, que ficava afastado das competições”, disse.

“Esta gestão está retomando com os criadores de animais, com a pecuária e a criação de cavalos, além do investimento no Hospital Veterinário [o maior da América Latina para animais de grande porte] e a tecnologia na agricultura”, frisou. “Até o fim do ano, quem vier aqui, vai rever os momentos únicos”, garantiu.

Granja do Torto

O Parque Granja do Torto é uma instituição de serviço social autônoma, sem fins lucrativos, que atua como residência oficial do segmento agropecuário do Distrito Federal. Tem o intuito de incrementar e integrar as cadeias produtivas, fomentar as atividades econômicas e o desenvolvimento do setor na região metropolitana do DF.

A viabilização do projeto será possível devido à regularização fundiária, promovida em dezembro de 2019 pelo GDF. Depois mais de 20 anos de insegurança jurídica, o governador Ibaneis Rocha assinou a Concessão de Direito Real de Uso (CDRU) ao Serviço Social Autônomo Parque Granja do Torto (PGT), permitindo firmar parceria com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) para implantação do maior e melhor parque de exposições do Brasil.

Fonte: Agência Brasília

Comentários

- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade -

Continue Lendo