Samu ganha mais um posto-base inovador

Unidade em Taguatinga, um projeto arquitetônico modular, foi inaugurada nesta quinta (11). Outras duas serão entregues ainda no primeiro semestre

Os postos-base vão descentralizar os atendimentos oferecendo mais agilidade ainda  | Foto: Renato Alves/Agência Brasília

Referência no atendimento ágil e de qualidade às vítimas de acidentes, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu-DF) acaba de ganhar uma nova unidade em Taguatinga. O posto-base inaugurado nesta quinta (11) fica na QNJ – Área Especial 2 e está em pleno funcionamento. Além desta, o Governo do Distrito Federal (GDF) inaugurou recentemente uma unidade na Asa Norte, no Plano Piloto, e prepara outras duas, uma em Samambaia e uma segunda unidade, em Taguatinga.

Atualmente, o Samu possui 22 postos-base de atendimento em todo o DF. O serviço dispõe ainda de 30 viaturas de suporte, oito de suporte avançado e um aeromédico. O serviço reúne ainda 916 servidores entre médicos, enfermeiros, rádio-operadores, técnicos em enfermagem e técnicos-administrativos.

916servidores trabalham no Samu. São médicos, enfermeiros, rádio-operadores, técnicos em enfermagem e técnicos-administrativos.

As unidades – como a inaugurada nesta quinta (11) – são construídas em contêineres. Trata-se de um projeto arquitetônico modular inovador. São equipadas com sala de descanso para os servidores, local para preparo da equipe no atendimento das ocorrências, espaço para desinfecção, higienização de viaturas e expurgo. Os postos têm capacidade de acomodar até seis servidores e acolher duas viaturas.

Além da base inaugurada na QNJ em Taguatinga, o Samu abriu recentemente um ponto fixo no Plano Piloto, na quadra 905 da Asa Norte. As demais estão previstas para serem entregues ainda no primeiro semestre de 2021, sendo uma na QNG, em Taguatinga, e a outra na Quadra 302 de Samambaia. O investimento em cada base modular gira em torno de R$ 350 mil. Os recursos são do próprio GDF e de emendas parlamentares.

R$ 350 milé o valor médio investido em cada base móvel do Samu

“Essa obra é inovadora, um trabalho maravilhoso. Tudo disposto de maneira muito operacional. Teremos além desta obra aqui, mais dez a serem entregues até o final de 2022”, destaca o secretário de Saúde, Osnei Okumoto.

Presente na inauguração, o deputado distrital Reginaldo Veras afirmou que, como morador de Taguatinga, sente orgulho de ter colaborado com emenda parlamentar. Quem também agradeceu a entrega do GDF foi o administrador de Taguatinga, Renato Andrade. Ele destacou outras ações na cidade ao mencionar o chefe do Executivo. “Taguatinga tem tido um olhar inteligente do governador Ibaneis Rocha, porque ele entende que uma cidade com quase 250 mil habitantes merece todo o carinho. Temos recapeamento, podas de árvore, a construção deste novo ponto de atendimento aos servidores do Samu, entre outros serviços”, enumera Renato Andrade.

Novo posto-base do Samu em Taguatinga foi inaugurada nesta quarta-feira (11) | Foto: Kiko Paz/Novacap

Descentralização

O Samu tem como projeto descentralizar as bases para atender a população onde ela mais precisa e com as ocorrências mais complexas. É o que explica o diretor do Samu/DF, Victor Arimatea.

“A meta é que o Samu possa atuar de forma estratégica e esteja distribuído da maneira mais lógica possível, diminuindo a distância entre as bases e com maior proximidade nas vias de alto fluxo, além do mapeamento das áreas com maior incidência de ocorrências severas”, explica Victor Arimatea.

A instalação da unidade do Plano Piloto possibilitou o restabelecimento do repasse financeiro pelo Ministério da Saúde para custeio de duas viaturas básicas, que corresponde ao valor de R$ 315 mil anualmente. O mesmo deverá ocorrer com as unidades de Taguatinga, onde poderão ser restabelecidas três viaturas básicas e uma de suporte avançado, no valor anual de R$ 934,5 mil.

Como funciona o Samu

O atendimento do Samu é gratuito, funciona 24 horas e começa a partir do chamado telefônico pelo número 192, quando são prestadas orientações sobre as primeiras ações. O serviço pode ser acessado a partir de qualquer telefone, fixo ou móvel. A ligação é atendida por técnicos, que identificam a emergência e coletam as primeiras informações sobre as vítimas e sua localização. Em seguida, as chamadas são remetidas a um médico, que presta orientações às vítimas e aciona as ambulâncias quando necessário.

As unidades móveis podem ser ambulâncias, motolâncias, ambulanchas ou aeromédicos, conforme a disponibilidade e necessidade de cada situação. Elas são distribuídas estrategicamente, de modo a otimizar o tempo de resposta entre os chamados da população e o encaminhamento às unidades hospitalares. A prioridade é possibilitar a cada vítima um atendimento no menor tempo possível, inclusive com o envio de médicos conforme a gravidade do caso.

O Samu presta atendimentos em qualquer lugar, sejam residências, vias públicas e até locais de trabalho. As equipes formadas por médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e condutores socorristas estão prontas para atender situações de urgência ou emergência de natureza clínica, cirúrgica, traumática, obstétrica, pediátrica, psiquiátrica, entre outras, que possam levar a sofrimento, sequelas ou mesmo a morte.

Quando chamar o Samu:

– Na ocorrência de problemas cardio-respiratórios;
– Em casos de intoxicação exógena;
– Em caso de queimaduras graves;
– Na ocorrência de maus-tratos;
– Em trabalhos de parto onde haja risco de morte da mãe ou do feto;
– Em casos de tentativas de suicídio;
– Em crises hipertensivas;
– Quando houver acidentes/traumas com vítimas;
– Em casos de afogamentos;
– Em casos de choque elétrico;
– Em acidentes com produtos perigosos;

Medidas a tomar em caso de acidente envolvendo carros e motos:

– Verifique a quantidade de vítimas, o estado de consciência delas e se alguma delas está presa às ferragens;
– Ligue para o 192 e siga as orientações do médico regulador;
– Sinalize as vias com galhos de árvore e o triângulo de sinalização do veículo;
– Em caso de acidente com motos, não toque nas vítimas, nem retire o capacete. Não dê água aos acidentados.

Fonte: Agência Brasília

Deixe uma resposta