Médicos investigados de furar a fila da vacina pedem demissão após tomar a 2ª dose no Amazonas

Os sete médicos  foram exonerados pela Prefeitura de Manaus foi publicada no Diário Oficial de sexta (12). Dois dias antes, eles receberam a segunda dose da vacina contra a Covid.

Médicos  são investigados  por furar da vacina, pedem demissão depois da 2ª dose no AM.

Segundo os promotores, em janeiro, às vésperas do início da vacinação, a prefeitura contratou dez médicos em caráter emergencial. Eles atuaram no atendimento de casos suspeitos de Covid em uma unidade básica de saúde.

O Ministério Público diz que esses médicos não poderiam estar no grupo prioritário de imunização, porque não atuam em UTIs, não tem mais de 60 anos nem comorbidades.

“Fomos surpreendidos recentemente com a publicação de exonerações a pedido logo após a tomada da segunda dose da vacina. O que é contrário à esta alegação de que tanto a contratação quanto a vacinação estavam no contexto de combate à pandemia de Covid-19, já que o desligamento não condiz com esta situação”, diz Armando Gurgel Maia, promotor de Justiça.

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, está em Manaus desde sexta (12) para coordenar novas ações de vacinação. Ele anunciou, junto com o governador Wilson Lima, do PSC, que vai antecipar a vacinação das pessoas com mais de 50 anos a partir do próximo dia 22.

“A gente entende que a vacina é o caminho mais seguro para que a gente possa começar aos poucos a voltar a nossa normalidade. Daí a necessidade de a gente ter essa ação de vacinação em massa”, afirmou o governador.

“A estratégia é atingir as partes mais distantes do centro de Manaus, não só nos polos de vacinação. A operação como um todo é da Prefeitura em Manaus e das prefeituras dos municípios”, declarou o ministro.

Segundo a Fundação de Vigilância em Saúde, mais de 190 mil doses da vacina foram aplicadas no Amazonas até a sexta-feira (12), sendo cem mil em Manaus. A prefeitura informou que há no estoque 38 mil doses.

Deixe uma resposta