- Publicidade -
25.5 C
Brasília
- Publicidade -

Novos cursos para capacitação de até 570 mulheres – Agência Brasília

A oficina da confeiteira Adriana Carvalho faz parte do projeto Mulheres Hipercriativas, voltado para o incentivo ao empreendedorismo feminino e capacitação| Foto: Divulgação/Secretaria da Mulher

Ajudar as mulheres a iniciar atuação no mundo dos negócios e traçar novos rumos para a carreira profissional são os objetivos da confeiteira Adriana Carvalho, 47 anos, professora do curso Doce Vida! A trajetória do empreendedorismo na confeitaria: do investimento ao cardápio, oferecido pelo projeto Mulheres Hipercriativas, uma parceria da Secretaria da Mulher do Distrito Federal e da Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI) Brasil, com o apoio da Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo.

“A maior dificuldade de quem empreende é saber por onde começar. É necessário planejar o próprio negócio, e o que tento mostrar a elas é que é preciso escrever um projeto”Adriana Carvalho, confeiteira

Idealizadora do Projeto Confeitaria Afetiva, a empresária ensina um lado diferente da gastronomia ao criar, dentro da cozinha, uma experiência ligada à memória afetiva. “Ensino por meio dos olhos do amor. Fazer um bolo para alguém é um gesto de afeto. Então, a confeitaria pode ser a porta de entrada de novos negócios a partir do resgate de sabores do passado”, define a professora.

Nas aulas, Adriana quer ir além da confeitaria e faz questão de mostrar às alunas que é preciso se profissionalizar para empreender em casa. Ela explica desde os detalhes da etapa de produção – como as boas práticas e as técnicas corretas de preparos –, até as questões mais técnicas do empreendedorismo, como calcular o custo do produto; precificação; marketing digital; e como e para quem vender, além das tendências no mercado da confeitaria. “A maior dificuldade de quem empreende é saber por onde começar. É necessário planejar o próprio negócio, e o que tento mostrar a elas é que é preciso escrever um projeto”, afirma.

Oficina

A oficina da confeiteira é uma das vinte e duas oferecidas na segunda lista do projeto Mulheres Hipercriativas, voltado para o incentivo ao empreendedorismo feminino e para a capacitação das mulheres do Distrito Federal. Serão 570 vagas disponíveis em novos cursos na área de economia criativa, além de estarem abertas novas turmas dos cursos, já em andamento, para que mais mulheres possam ter a oportunidade de participar.

Os cursos terão 10 ou 20 horas de carga horária, com direito a certificado, e pretendem capacitar quatro mil mulheres

“No contexto em que estamos vivendo, no qual as mulheres são mais afetadas economicamente, o GDF está preocupado em oferecer mais oportunidades para que elas possam empreender de casa, de maneira criativa e inovadora, em áreas que oferecem grandes ofertas de inserção no mercado de trabalho”, declara a secretária da Mulher, Ericka Filippelli.

As inscrições terão início entre os dias 12 e 15 deste mês, conforme cronograma de cada curso. Entre as formações estão: artesanato (Design de bolsas e sacolas); moda (Moda transformadora com upcycling); fotografia (Fotografia para moda feminina); além de gestão empreendedora (Comunicação estratégica e competências emocionais para empreender), entre outras atividades.

O projeto

O Mulheres Hipercriativas é uma parceria da Secretaria da Mulher do Distrito Federal e a OEI Brasil, com o apoio da Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, criada com o objetivo de reunir mulheres já consolidadas no meio profissional para ensinar, motivar e inspirar novos talentos, por meio de sua trajetória empreendedora.

E, também, como ensinar e trocar experiência no ramo em que são especialistas, criando, assim, uma grande e potente rede de colaboração e de desenvolvimento entre as mulheres da cidade.

As aulas serão ministradas por professoras-facilitadoras, selecionadas por meio de edital. Muitas delas já desenvolvem alguma atividade bem-sucedida na área da economia criativa e, agora, terão oportunidade de compartilhar seus conhecimentos com outras mulheres, interessadas em empreender ou desenvolver uma nova habilidade. As professoras receberam treinamento específico por meio da coordenação pedagógica do projeto Mulheres Hipercriativas para repassar o conteúdo da capacitação na modalidade a distância – EAD.

Os cursos terão 10 ou 20 horas de carga horária, com direito a certificado, e pretendem capacitar quatro mil mulheres. As aulas se enquadram tanto para quem deseja começar um novo projeto, quanto para quem busca aperfeiçoar o próprio negócio com novas técnicas.

“A OEI vê na economia criativa uma estratégia de desenvolvimento e acredita na educação como uma ferramenta de transformação social. Por meio do Mulheres Hipercriativas, oferecemos às mulheres do Distrito Federal um rol diverso de cursos profissionalizantes com foco na cultura, estimulando o protagonismo feminino”, afirma o diretor e chefe da representação da OEI no Brasil, Raphael Callou.

Como ser uma aluna hipercriativa

O lançamento da nova etapa do projeto acontecerá em transmissão, ao vivo, nesta quinta-feira (8), às 18h, pelo canal do YouTube da OEI Brasil e Facebook da Secretaria da Mulher. Serão divulgados os temas dos novos cursos, as datas das inscrições e esclarecidas todas as dúvidas sobre como participar.

A live contará com a participação da secretária Ericka Filippelli e do diretor e chefe da representação da OEI no Brasil, Raphael Callou.

Para mais informações acesse o site do projeto Mulheres Hipercriativas.

*Com informações da Secretaria da Mulher

Fonte: Agência Brasília

Comentários

- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade -

Continue Lendo