- Publicidade -
27.5 C
Brasília
- Publicidade -

Vítima de estupro coletivo pede investigação de mulheres que indicaram quarto onde ocorreram os abusos

A defesa da jovem de 25 anos que foi abusada por sei homens durante uma festa em Águas Lindas de Goiás, no último sábado, vai solicitar a investigação de duas mulheres que estavam no local do crime.

De acordo com a vítima, elas foram responsáveis por levá-la até um quarto para descansar. Pouco depois, seis homens entraram no cômodo e praticaram estupro coletivo por mais de 5 horas. A vítima do estupro prestará novo depoimento nesta sexta-feira. Ela será ouvida pela delegada Tamires Teixeira, da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) de Planaltina, que assumiu a investigação do caso nesta quarta-feira.

— A vítima pode requerer diligências na investigação, então eu vou fazer um pedido para ouvir as duas. É preciso investigar se elas têm participação no crime. Elas ajeitaram o quarto, organizaram o ambiente, podem ter dado incentivo moral para os indivíduos praticarem os crimes. Então é preciso investigar isso também — afirmou o advogado Bruno de Oliveira.

A jovem relatou, em depoimento, que só conseguiu sair da festa na manhã seguinte ao crime. Nesse momento, ela voltou a ter contato com as duas mulheres que estavam na casa, mas, de acordo com seu depoimento, não teria recebido qualquer ajuda.

Três suspeitos do crime estão presos: o subtenente Irineu Marques Dias, da Polícia Militar do Distrito Federal; seu irmão, Daniel Marques Dias; e um terceiro suspeito identificado como Thiago de Castro Muniz. A vítima declarou ter sido abusada por seis homens. Três ainda não foram identificados.

Informações O GLOBO

Comentários

- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade -

Continue Lendo