- Publicidade -
34.8 C
Brasília
- Publicidade -

Brasília, fonte de triatletas olímpicos

Brasília com ela, Mulher capital Brasília... 

O brasiliense Thiago Gomide (o GOMIDE, como é conhecido) é atleta desde sempre. O menino “saudável” e “criativo”, com energia de sobra, sempre chamou a atenção dos professores de educação física da escola pela habilidade na prática esportiva. Iniciou como toda criança: natação, judô e futebol, mas passou pela ginástica artística e saltos ornamentais, o que ampliou ainda mais suas habilidades.

Gomide, acabou escolhendo a natação e até os 17 anos competiu, no alto rendimento, os mais importantes campeonatos de natação e maratona aquática do país. Representou o Distrito Federal nas edições dos Jogos Escolares e com apenas 14 anos foi campeão brasileiro da Copa Brasil de Maratonas Aquáticas. “Sempre soube que queria ser atleta”, Confessa Gomide à Mulher Capital Brasília.

Mas o triathlon sempre esteve na cabeça e no coração. Mudar e começar um novo esporte é sempre motivador. A natação já fazia parte do dia a dia, mas faltava o pedal e a corrida, dois desafios imensos para quem nunca havia praticado. Foi quando o triatleta, supercampeão, Leandro Macedo apostou no potencial olímpico do atleta e deu início aos treinamentos em 2018.

Hoje, com 19 anos, o Gomide é estudante de Educação Física da Universidade de Brasília. Treina todos os dias a natação no Iate Clube, com o técnico Fabio Costa. O pedal e a corrida, acontecem com os fiéis e queridos amigos da equipe Leandro Macedo Triathlon,  na rua, no Parque da Cidade, no Clube do Remo, no pelotão do Parque ou no pelotão do Lago Sul. Nos desafios Brasília – Goiânia, Brasília – Formosa enfim…. São quilômetros e quilômetros de bike e corrida tendo como Cartão postal Brasília, a cidade que é a cara desse esporte incrível.

A parceria Leandro Macedo e Gomide promete render muitos frutos. Segundo o atleta, “o treinamento e aprendizado não acabam nunca. Todos dias aprendo um detalhe diferente e ainda falta muito para alcançar meu objetivo, mas eu chego lá! ”

Nesses três anos de treinamento  já participou de vários campeonatos brasileiros. Ano passado foi o único atleta júnior (sub 19) que competiu uma prova de triathlon profissional, ao lado da elite, dos melhores profissionais do triathlon brasileiro, o que rendeu citações como: o menino casca grossa, o menino maluco que se inscreveu no profissional, o doido que competiu de speed (referência da bike). Para ele, “foi uma honra do tamanho do mundo competir do lado de profissionais e atletas olímpicos… meus ídolos, os caras nos quais me inspiro todos os dias! ”.

Fotos : @marcelorypl @professionaltriathletesorg/ @luizfotografia @rodrigocuri.pf /correndoprafoto.com.br

Comentários

- Publicidade -

Últimas Notícias

- Publicidade -

Continue Lendo